A SulAmérica, que completou 123 anos no último dia 6, reuniu jornalistas na sede da companhia. Numa apresentação inovadora, totalmente digital, sinalizou otimismo com 2019, principalmente por uma retomada da economia, boas perspectivas com o impacto positivo sobre a reforma da previdência e, sobretudo, com a estimativa de melhora da renda das classes ABC. “O mundo está mudando tão rápido que no ano que vem acho que esse encontro será cada um no seu local de trabalho e a SulAmérica vai pedir a comida pelo Ifood e faremos uma teleconferência”, brincou o CEO Gabriel Portella. “Na verdade, espero realmente que estejamos todos juntos, ao vivo, novamente”. A inovação foi um tema em destaque no encontro, bem como um cenário do setor para 2019 com a queda da taxa de juros e mudança do hábito do consumidor, como o compartilhamento de carros. Para 2019, a projeção da SulAmérica é que a inflação e a taxa Selic mantenham-se em um baixo patamar. Isso propiciaria a expansão do PIB e a recuperação dos investidores e dos consumidores. “Mas essa projeção depende do novo governo conseguir aprovar as reformas estruturais necessárias para a volta dos superávits primários, como a da Previdência”, disse. Em 2018, a inovação ajudou a melhorar o lucro. Em novembro, a seguradora divulgou que registrou um lucro líquido de R$ 234,6 milhões no terceiro trimestre deste ano, uma alta de 55% na comparação com o mesmo período do ano anterior. A margem bruta da empresa aumentou 41% em um ano, para R$ 478,6 milhões no terceiro trimestre deste ano. O índice combinado – que mede a eficiência operacional da seguradora e, quanto menor, melhor – foi de 95,9%, 3,1 pontos menor frente ao terceiro trimestre do ano passado. O foco dos investimentos em inovação está em aumentar a capilaridade e a prestação de serviços para os corretores de seguros. “Todas as linhas serão contempladas com mais investimentos em tecnologia”, garantiu. O aplicativo SulAmérica Saúde, no ar há seis anos, registrou mais de 2 milhões de usuários em 2018. A inteligência cognitiva no relacionamento com o cliente já superou a marca de 1,1 milhão de atendimentos, com 90% de redução no tempo de espera das solicitações. O grupo optou por ter um celeiro de inovação dentro de casa para testar as ideias e dai aplicá-las. Entre os cases de sucesso, o diretor de Tecnologia e Atendimento da SulAmérica, Cristiano Barbieri, cita o “médico em casa” e o “reembolso digital”. Pelo aplicativo da SulAmérica, o usuário consegue agendar o melhor horário e acompanhar o status da chegada do médico. “O serviço ultrapassou 2,7 mil atendimentos desde dezembro de 2017 até agora e está disponível em 13 cidades. E o melhor: com índice de satisfação de 90%”, acrescentou Marco Antunes, vice-presidente de Operações e Tecnologia. Maurício Lopes, vice-presidente de Saúde, conta que a inovação tem um papel fundamental na constante melhoria para o cliente da maior carteira do grupo. “Cerca de 90 mil beneficiários já participam de um modelo inovador de cuidado coordenado, que prevê gestão integrada de saúde e engajamento do paciente”, citou. Cerca de 90 mil segurados e 850 médicos já participam deste novo modelo, que tem como proposta inserir o beneficiário no centro de uma rede de cuidados. Além da atenção primária, a seguradora passa a acompanhar os pacientes atendidos no serviço de Orientação Médica Telefônica, disponível 24 por dia, até o desfecho clínico. “Já registramos uma menor frequência de idas ao pronto-socorro, de 21%, pela população idosa acompanhada, em relação a outros segurados da mesma faixa etária. O cuidado preventivo sinaliza redução de 20% no período nas internações e de 32% nos custos”, contou. Automóvel tem uma agenda digital importante, principalmente para atrair proprietários de veículos com mais de 5 anos de uso, informou Eduardo Dal Ri, vice-presidente de Automóveis e Massificados. Facilidades para veículos novos, líder de vendas, também estão no forno. “Segundo dados da Anfavea, as vendas de veículos novos devem crescer aproximadamente 15% neste ano e no mesmo patamar em 2019. Isso significa uma nova frota segurada”. Em 2018, o grupo lançou o Auto.Vc, aplicativo de telemetria para identificar hábitos de direção e assim cobrar um preço mais justo de cada perfil de motorista. Também colocou no ar uma plataforma 100% digital para corretores cotarem o preço do seguro de carro. Previdência – De acordo com o vice-presidente de vida, previdência e investimentos da SulAmérica, Marcelo Mello, as expectativas da companhia para 2019 são positivas. “No próximo ano, o cenário macroeconômico trará a pauta da reforma da Previdência de volta. Também apostamos no crescimento de renda, como disse nosso presidente”, comenta o executivo. Até 31 de outubro, a SulAmérica Investimentos alcançou a marca de R$ 39 bilhões de ativos sob gestão. Mello acredita que os tradicionais produtos terão versões modernas, estimuladas pela queda da taxa de juros, momento em que os investidores passam a olhar com mais interesse para produtos diferenciados, com investimento mais sofisticados do que a renda fixa pura. “O consumidor tem consciência de que a renda fixa não é mais suficiente para complementar a renda futura e busca novas alternativas já disponíveis no leque de opções disponibilizadas pela companhia”, afirmou. Segundo ele, enquanto várias empresas de previdência registraram captação liquida negativa, a seguradora avançou a passos significativos por diversas razões, sendo uma delas a massificação trazida pelas plataformas de investimentos digitais. “O tema previdência está em alta e isso fez com que corretoras de valores e gestores de recursos ingressassem neste segmento, o que nos beneficiou muito companhias indepentes como a SulAmérica”, afirmou. De olho nos investidores que aceitam maior grau de risco, a SulAmérica lançou o Apollo F1 Multimarcado Crédito Privado, que adota como estratégia a alocação de recursos em até 100% em títulos públicos federais, ativos de crédito privado, ações e até 20% em investimentos no exterior. A movimentação inicial é de R$ 5 mil, com taxa de performance de 20% do que exceder a 100% da variação do CDI e taxa de administração de 2% ao ano.