A retomada do crescimento na economia favorecerá diretamente o mercado de seguros, principalmente as carteiras como a de automóveis. A avaliação é do presidente da Fenseg, João Francisco Borges da Costa, para quem o cenário mais favorável, com juros mais baixos e crédito acessível, ajuda o consumidor a trocar de carro. “Isso impulsiona o seguro dos Automóveis, de todos os tipos”, frisa o executivo, em entrevista ao SindSeg/SP. O presidente da FenSeg está bastante otimista quanto às perspectivas para o mercado. Na visão dele, o Brasil caminha para uma retomada gradual do desenvolvimento econômico, com perspectiva de queda de juros, aumento de investimentos, dos índices de empregabilidade e do consumo das famílias. “Isso deve trazer aquecimento a diversos setores da economia, que vão demandar mais contratação de seguros”, comenta. Quanto aos desafios enfrentados pelo setor, ele aponta o combate à venda irregular de seguros por parte das associações de proteção veicular como uma das prioridades que se destacam na agenda da FenSeg, pelo forte impacto que pode causar ao mercado. “Em parceria com a CNseg e a Susep, a Federação atuou de forma efetiva no combate ao exercício irregular da atividade seguradora. Cabe destacar ainda o apoio da FenSeg à aprovação do PL 819/2018, de autoria do deputado federal Lucas Vergilio (SD-GO), que tem por finalidade regularizar as atividades destas associações”, frisa. João Francisco lista como outros desafios relevantes a regulamentação do seguro de Garantia de Obrigações Contratuais, em função da nova Lei de Licitações de Obras Públicas, em discussão no Congresso Nacional; e o combate às fraudes, devido ao agravamento da situação de roubo e furto de veículos, assim como de mercadorias em geral. “A FenSeg contribuiu ativamente também nas discussões visando à regulamentação do Seguro de Auto Popular por meio da Resolução CNSP 354, principalmente nos aspectos referentes à idade mínima dos veículos, possibilidade de utilização de oficinas da rede credenciada do produto e utilização de peças usadas (certificadas) oriundas de desmontagem de veículos, a partir de critérios estabelecidos em harmonia com o mercado”, acrescenta.