A gamificação, wearables e blockchain são tecnologias que já estão impactando no setor de seguros O uso de novas tecnologias está promovendo mudanças no setor de seguros. Agora, há uma competitividade ainda maior e novas preferências dos consumidores estão surgindo. Tecnologias como gamificação, uso de wearables e até a blockchain estão trazendo mais agilidade e inteligência às seguradoras, enquanto seus clientes podem experimentar mais conveniência e personalização de serviços. Essa mudança é importante para os consumidores principalmente nos seguros de vida, por exemplo, quando é no mínimo estressante em qualquer situação fazer um sinistro. Por se tratar de um serviço delicado, é importante que ele seja o melhor possível sempre – e essas três tecnologias estão ajudando nisso: Gamificação A gamificação é uma metodologia que engaja os consumidores ao aplicar mecânicas de jogos em diversas áreas, como na transmissão de informações e resolução de problemas. A gamificação motiva os consumidores a se manterem informados e educados quanto às novidades ou informações importantes dos seguros, pois as seguradoras possuem a possibilidade de oferecer recompensas pela participação nos jogos. Além disso, se os jogos forem interessantes podem promover até a divulgação do serviço de seguro, já que os usuários podem compartilhá-los com amigos ou nas redes sociais. Wearables Os wearables são os dispositivos eletrônicos que podem ser “usados” – como smartwatches, jaquetas inteligentes, entre outros. Os relógios são os dispositivos mais populares para controlar a saúde, pois medem e analisam os batimentos cardíacos, número de calorias queimadas, qualidade do sono, frequência e qualidade de exercícios físicos e até quantos passos foram dados. Essas informações são interessantes para os seguros de saúde, porque ao ter acesso aos dados desses dispositivos, as seguradoras possuem informações ricas sobre seus clientes e podem criar produtos ainda mais customizados. Além disso, saber um pouco mais sobre a saúde de seus clientes possibilita que as seguradoras fomentem iniciativas para reeducação de costumes – e isto pode ser feito através da gamificação, por exemplo. Blockchain A blockchain – sim, a plataforma no qual são realizadas as transações de criptomoedas – é uma plataforma aberta, criptografada e descentralizada. Ou seja, as informações contidas na plataforma estão seguras pela criptografia, pertencem a todos e são de ninguém ao mesmo tempo e podem ser acessadas de qualquer lugar. No setor de seguros de saúde, a blockchain contribui na realização de smart contracts – os contratos inteligentes realizados diretos na plataforma. O benefício de realizar os contratos direto na plataforma é a maior transparência e segurança oferecida pela criptografia, a eliminação de intermediários e a redução de fraudes. Colabore com a tecnologia A Liberty Seguros já traz a tecnologia para seus processos ao realizar, por exemplo, a autovistoria no seguro de automóveis. Porém, a seguradora deseja trazer a tecnologia ainda mais para seus serviços, inclusive no seguro de vida. Por esse motivo, a seguradora está realizando mais uma edição da Liberty Open Colab, seu programa de conexão com startups. Após as inscrições, as startups selecionadas participarão de um Pitch Day para apresentar suas soluções e as que possuírem maior sinergia com a Liberty realizarão uma imersão na empresa. Juntas, a seguradora e as startups realizarão um período de conexão, no qual as startups podem se tornar suas parceiras ou fornecedoras. As inscrições para o Liberty Open Colab já estão abertas e vão até o dia 27 de julho – leia o regulamento e inscreva-se aqui!